Archive for the ‘Ubuntu’ category

Imprimindo em PDF no Ubuntu Gutsy

4 / dezembro / 2007

Bom, estava eu cá a tentar descobrir como se imprime diretamente para um .pdf no Gutsy (se não me engano foi alardeado que o sistema faria isso ‘nativamente’, mas eu entendi isso como ‘vir prontinho pra usar’, e não achei como …)

Pesquisando um pouco no Oráculo, cheguei a este post, do Julio Cardoso, só que ele é pra Kubuntu.

Peço vênia ao Julio, então, pra adaptar o guia dele ao Ubuntu “7.10” Gutsy:

  1. No terminal, faça um sudo apt-get install cups-pdf ;
  2. Vá ao menu Sistema > Administração > Impressão;
  3. Na janela que se abre, escolha “Nova Impressora”, selecione “Print into pdf file”, e avance;
  4. Na próxima tela, deixe em”generic” e avance novamente;
  5. Nesta, no painel esquerdo escolha”PDF file generator”, e avance mais uma vez;
  6. Agora dê um nome à sua impressora (sugere-se cups_pdf), acrescente uma descrição, e clique em aplicar.
  7. Agora teste a impressão, abrindo qualquer aplicativo que possa mandar algo pra impressora e mandando imprimir. O arquivo, por padrão, é salvo na pasta PDF dentro da sua home.
  8. Se não for criada a pasta (e, por isso, não aparecer nada lá dentro), rode o seguinte comando no terminal, que até onde entendi serve pra contornar um probleminha com o apparmor : sudo aa-complain cupsd. Eu li isso em algum post num fórum gringo, e não no guia do Julio, mas perdi o link, infelizmente.

Agora, se tudo correu bem, você pode imprimir para pdf como se estivesse imprimindo em papel, e fazendo um arquivo digital dos seus recibos de pagamento de guias, cartões de crédito, boletos bancários, e o que mais sua imaginação mandar.

Outro dia, acreditando no suporte nativo a impressão em pdf no Ubuntu, tive uma desagradável surpresa (coisa de noob):  como eu mandava imprimir para arquivo, o Gutsy gerava arquivos postscript (.ps), embora eu acrescentasse a eles extensões .pdf (sim, eu sei que o linux não dá bola pras extensões de arquivo); e quando precisei imprimir um desses .ps num windows da vida, não conseguia … e aqui vai outra dica: há conversores online para esses arquivos.

Um deles é o ps2pdf, que foi minha salvação, naquele momento.

HP Pavilion DV6220br: Atualização de bios disponível.

18 / novembro / 2007

Não, o post não é pra ensinar a fazer atualização de bios no notebook.

É pra chamar a atenção dos demais proprietários de um equipamento desses que, no mês passado (outubro de 2007), a HP liberou uma atualização para a bios desse notebook (e, se não me engano, de outros que usam processador AMD, da mesma marca).

Essa atualização é especialmente útil pra corrigir alguns problemas com ACPI enfrentados por usuários Linux (meu caso). Quanto a outras mudanças, infelizmente não posso informar, já que a HP não informa o que é corrigido na bios com esse update.

Quem quiser mais informações pode começar aqui.

Especial deskmod (ou lapmod ? É um ‘portátil’…)

13 / novembro / 2007

Hoje tirei pra experimentar temas pro desktop (claro, sobrou tempo, já que o sistema não está mais travando).

Bom, aí vão os 3 testados hoje, com os links pra download:

1) Smoked Glass:
Smoked Glass + �cones do Ubuntu Studio

2) Dark Grey:

Dark Grey + �cones do Ubuntu Studio

3) Cybertron Leopard:

Cybertron Leopard + applets Para os eventuais interessados nos applets do painel superior (abri o “sobre…” ou “about…” de cada um deles no último screenshot), o de brilho do monitor e o da freqüência da CPU vêm instalados por padrão; o da rede é só fazer um sudo apt-get install netspeed. Depois, é só clicar com o botão direito no painel, ir na opção “adicionar ao painel”, escolher os applets desejados e clicar em adicionar.

Já o dos sensores de temperatura dá um pouco mais de trabalho, e envolve um pouco mais de risco. Basicamente, você precisa instalar o pacote lm-sensors e, feitos isso, executar o comando sensors-detect (com sudo, se bem me lembro). Isso envolve risco porque, pelo que entendi do passo-a-passo da detecção dos sensores, se você fizer algo errado, pode ferrar o sistema … e ter que consertar na mão, ou reinstalar. Feito isso, execute o comando sensors no terminal, e veja se ele retorna alguma informação – se tiver uma resposta positiva, ótimo. Agora falta só instalar o pacote sensors-applet, e adicioná-lo ao painel, como já explicado acima. Claro, cada um deles possui seus ajustes … façam os seus.

Problemas no Ubuntu “7.10” Gutsy (travamentos): kernel “bugado” ?

12 / novembro / 2007

Desde que fiz o upgrade pro Gutsy Gibbons, eu vinha enfrentando travamentos aleatórios do sistema.

E não eram travamentos do tipo “reinicia o X e volta”, nem “vai pro terminal e mata o gdm”. Simplesmente bloqueava todo o sistema, só desligando o laptop ‘no botão’ e ligando de novo, e ficar esperando o próximo travamento.

Agoniado, eu ficava esperando algum update milagroso que corrigisse o problema. Testei quase todos os navegadores possíveis, achando que fosse, inicialmente, o Firefox … depois, o ‘motor’ dele (o Gecko).

Cansado de tanto travamento, já estava procurando uma distro pra instalar no lugar do Ubuntu, quando me veio à cabeça uma possibilidade: instalar outro kernel. Tecnicamente não sei o melhor meio de fazer isso, mas eu fiz do seguinte modo: abri o Synaptic, e mandei fazer uma busca pelos pacotes que contenham “linux 2.6” no nome; depois, nos resultados, fui marcando o correspondente “-386” de cada “-generic” instalado.

Ao final da instalação, o GRUB foi automaticamente atualizado (um problema a menos).

Reiniciei e, para minha surpresa, desde então não tive mais um travamento sequer. A única coisa que parou de funcionar, com isso, foi a placa de rede sem fio – mas porque o firmware estava no diretório do outro kernel. Resolvi removendo e mandando reinstalar o driver (e o firmware, por tabela – não é o modo mais correto, mas é o mais cômodo) pelo gerenciador de drivers restritos.

Espero que isso ajude mais alguém.

Instalando o AMD Power Monitor no Ubuntu Feisty

16 / outubro / 2007

Ontem navegava eu pelo site da AMD, quando descobri que eles possuíam um software chamado ‘Amd Power Monitor’ disponível para Linux (coisa rara hoje em dia …) . Mas tem um porém: versão só pra RedHat, Suse e derivados, pelo que vi. Debian que é bom, nada ….

Mesmo assim resolvi experimentar.

Quer fazer também ? Eu segui esses passos (meu sistema é 32 bits, não sei se os passos são os mesmos num 64 bits):

  1. Baixe o pacote RPM para sistema 32bits aqui (para 64 bits, pegue esse);
  2. Instale, caso você ainda não tenha, o alien (sudo apt-get install alien);
  3. “Alienize” o pacote, executando, no terminal (e dentro do diretório onde o arquivo foi salvo) o comando “sudo alien Pow… (dê um tab pra completar o nome do pacote)”;
  4. Instale os pacotes schedutils e libqt3-mt (sudo apt-get install schedutils libqt3-mt) (o Nilton Andrade reportou que é necessário instalar também o pacote utils-linux no Gutsy);
  5. Instale o pacote gerado pelo alien (clique com o botão direito, vá em “Abrir com o instalador de pacotes GDebi”) e clique em instalar pacote.
  6. Abra um terminal, e execute o comando “sudo amdpwrmon“.

Por aqui, esses passos foram suficientes. Eventualmente pode faltar algum pacote aí – executando no terminal, você poderá observar alguma eventual mensagem de erro. Estando tudo certo, quando você quiser executar o Power Monitor de novo, basta apertar alt+F2, e, na caixa que se abre, executar o comando ‘gksu amdpwrmon‘.

Se tudo correr bem, vai aparecer um novo ícone na barra de tarefas. Dois cliques sobre ele bastam para abrir o monitor (pena que a interface dele é em QT, mas ele é legalzinho).

Quem quiser, pode ver uma screenshot clicando na miniatura abaixo:

AMD Power Monitor no Ubuntu Feisty

Sobre os dois tutoriais do DSL-210 : Um lembrete importante.

16 / outubro / 2007

Pessoal, hoje refletindo sobre o (aqui em casa falecido) Modem D-Link DSL-210 (Conexant AccessRunner), me lembrei de uma coisa que, embora seja importante, me parece que esqueci de botar nos tutoriais (no primeiro porque ainda não sabia, no segundo porque na verdade não fui eu que fiz): Quando você instala um kernel novo, antes de remover o velho (pouca gente faz isso), você precisa copiar o firmware para o diretório do kernel novo. Se não o fizer, no próximo boot simplesmente você não vai conseguir conectar, porque o Ubuntu não vai achar o firmware do modem.

A essa altura, muita gente já ‘reinstalou’ o modem, porque eu não lembrei de avisar antes …. perdoem a falta.

“Chuvisco” no console, com notebook widescreen e Ubuntu.

13 / outubro / 2007

Andava eu com um probleminha de menor tamanho a incomodar-me no uso do meu laptop com Ubuntu Feisty: no console, parecia haver um chuvisco que distorcia o texto – como se as linhas de texto se dividissem e parte delas se alinhasse à esquerda, parte à direita, e outro tanto no meio …. Dá pra ler, mas é chato usar o console assim.

Bem, mãos à obra: raciocínio pra cá, google pra lá, achei dois textos (1 e 2) que me forneceram material pra alguns testes. No entanto, entre um reboot e outro, cheguei à conclusão de que nenhum funcionaria “cem por cento”, já que nenhum atendia à resolução nativa do meu monitor (1280X800).

Então parti para uma nova busca no google, desta vez tentando descobrir se existia algum parâmetro adequado à resolução do notebook. Coloquei “1280X800 vga=” na caixa de busca e mandei ver.

Entre as respostas, esta página, da wiki do Gentoo, que não é Ubuntu mas também é Linux, e que não fala de equipamento HP também, mas que serviu. Lá pela metade da página, tem um subtítulo onde diz “example: 1280×800:” e do parágrafo que segue extraí a dica de editar o arquivo de configuração do lilo ou do grub (meu caso), adicionando, na linha do kernel, o seguinte comando:

video=vesafb:1280×800-32@60,mtrr:3,ywrap

É necessário, ainda, excluir qualquer parâmetro vga=XXX que conste na mesma linha.